Warning: this is an htmlized version!
The original is across this link,
and the conversion rules are here.
% (find-angg "LATEX/2010-valenca.tex")
% (find-dn4ex "edrx08.sty")
% (find-angg ".emacs.templates" "s2008a")
% (defun c () (interactive) (find-zsh "cd ~/LATEX/ && ~/dednat4/dednat41 2010-valenca.tex && latex    2010-valenca.tex"))
% (defun c () (interactive) (find-zsh "cd ~/LATEX/ && ~/dednat4/dednat41 2010-valenca.tex && pdflatex 2010-valenca.tex"))
% (eev "cd ~/LATEX/ && Scp 2010-valenca.{dvi,pdf} edrx@angg.twu.net:slow_html/LATEX/")
% (defun d () (interactive) (find-dvipage "~/LATEX/2010-valenca.dvi"))
% (find-dvipage "~/LATEX/2010-valenca.dvi")
% (find-pspage  "~/LATEX/2010-valenca.ps")
% (find-pspage  "~/LATEX/2010-valenca.pdf")
% (find-xpdfpage "~/LATEX/2010-valenca.pdf")
% (find-zsh0 "cd ~/LATEX/ && dvipdf         2010-valenca.dvi 2010-valenca.pdf")
% (find-zsh0 "cd ~/LATEX/ && dvips -D 300 -o 2010-valenca.ps 2010-valenca.dvi")
% (find-zsh0 "cd ~/LATEX/ && dvips -D 600 -P pk -o 2010-valenca.ps 2010-valenca.dvi && ps2pdf 2010-valenca.ps 2010-valenca.pdf")
% (find-zsh0 "cd ~/LATEX/ && dvips -D 300 -o tmp.ps tmp.dvi")
% (find-pspage  "~/LATEX/tmp.ps")
% (ee-cp "~/LATEX/2010-valenca.pdf" (ee-twupfile "LATEX/2010-valenca.pdf") 'over)
% (ee-cp "~/LATEX/2010-valenca.pdf" (ee-twusfile "LATEX/2010-valenca.pdf") 'over)
% (find-twusfile     "LATEX/" "2010-valenca")
% http://angg.twu.net/LATEX/2010-valenca.pdf

\documentclass[oneside]{book}
\usepackage[brazil]{babel}
\usepackage[latin1]{inputenc}
\usepackage{edrx08}       % (find-dn4ex "edrx08.sty")
%L process "edrx08.sty"  -- (find-dn4ex "edrx08.sty")
\input edrxheadfoot.tex   % (find-dn4ex "edrxheadfoot.tex")
\begin{document}

%\input 2010-valenca.dnt

%*
% (eedn4-51-bounded)

%Index of the slides:
%\msk
% To update the list of slides uncomment this line:
%\makelos{tmp.los}
% then rerun LaTeX on this file, and insert the contents of "tmp.los"
% below, by hand (i.e., with "insert-file"):
% (find-fline "tmp.los")
% (insert-file "tmp.los")

\noindent
Oi vizinhos,

\msk

\noindent
estou procurando pessoas que também estejam muito incomodadas com o
barulho da casa do fundo do condomínio da rua Valença 269 (``casas 5 e
6'' - 5 é o térreo, 6 é o andar de cima) pra me ajudarem a reduzir esse
barulho. O meu plano deve dar mais trabalho no início, enquanto ainda
não soubermos bem como as coisas funcionam, e deve ficar mais fácil
com o tempo; então no início faz sentido que só uma ou duas pessoas
que também estejam muito irritadas me ajudem - fazendo algo mais
trabalhoso - mas depois iremos precisar de ajudas rápidas de várias
pessoas (talvez assinaturas bastem).

A idéia é a seguinte: só os pais dos alunos que moram nas casas 5 e 6
- estou chamando os moradores das casas 5 e 6 de ``alunos'' porque
conheço alguns pessoalmente, já dei aula pra eles no PURO - podem
pressioná-los efetivamente para pararem de fazer barulho... mas na
verdade esses pais só vão fazer alguma coisa se eles próprios - os
pais - forem pressionados.

Eu não tenho carro e nem celular (e aliás nem internet em casa por
enquanto). Na época em que os moradores anteriores das casas 5 e 6 -
os que foram despejados - faziam festas várias noites por semana eu
tentei descobrir como pedir ajuda da polícia, fui duas vezes até
aquela delegacia perto da ponte, e me disseram que eu deveria ligar
pro DPO da PM - o telefone é 2764-3190 - ou então fazer uma reclamação
por escrito no Departamento de Posturas Públicas da Prefeitura. Tentei
ligar pra esse telefone algumas (poucas) vezes de noite - acho até que
isso foi na época em que eu ainda não tinha telefone fixo, e que eu
tinha que rodar de bicicleta pelos orelhões da vizinhança procurando
um que funcionasse - e nunca consegui que ninguém atendesse; quando eu
fui na delegacia da segunda vez me disseram que se ninguém tinha
atendido era porque os policiais do DPO deviam estar fazendo ronda.

Se alguma outra pessoa muito incomodada puder me dar uma carona até a
delegacia numa dessas noites com festas a gente pode conseguir que
eles afinal entrem em contato com o tal do DPO, ou que eles registrem
uma ocorrência, ou que eles nos instruam melhor a respeito do que
fazer. Eles próprios não têm experiência em lidar com barulho, e eles
só vão sentir obrigados a descobrir o que fazer se nós formos até lá
conversar com eles e pedir ajuda. Em algum momento a gente vai
conseguir que policiais venham até as casas 5 e 6 e façam a festa
daquela noite acabar; depois de algumas festas terminadas pelos
policiais os moradores vão receber uma advertência formal, via
imobiliária, que será repassada para os pais dos alunos - em nome de
quem as casas estão. Depois de algumas advertências ``puras'' talvez as
advertências seguintes passem a vir com multas.

O objetivo de tudo isto é fazer com que passe a não valer mais a pena
pra eles fazerem tanto barulho assim. Eles só fazem essas festas - e
aliás fazem elas com cada vez mais freqüência - porque elas não têm
nenhuma conseqüência ruim pra eles, muito pelo contrário: imagino que
eles passem a ser cada vez mais respeitados pelos colegas por cederam
a casa pra essas festas, e por morarem no condomínio mais ``animado'' da
região... E nós, vizinhos silenciosos, vamos só ficando cada vez mais
desesperados, e não conseguimos fazer nada de concreto...

A pessoa que quiser me ajudar indo comigo na delegacia da(s)
primeira(s) vez(es) não precisa nem pôr o seu nome na queixa se não
quiser se indispor com os barulhentos - eu ponho o meu nome em tudo
que precisar, porque eu não tenho mais a menor necessidade de olhar
pra esses vizinhos com uma cara civilizada, eu estou há meses perdendo
muita energia com isso, vivendo de mau humor (porque além de todos os
problemas da infra-estrutura na faculdade agora a minha casa também tá
um inferno - eu queria poder ler, estudar e dormir direito nela, e não
posso), e muitas vezes acabo sonhando acordado que seria bom se a
gente estivesse no filme o O Poderoso Chefão, em que a gente fala com
o mafioso do bairro e ele ``dá um jeito''... mas aí eu volto pra
realidade e só tem essa Polícia, e vai ser difícil fazê-la funcionar.

Por sinal: eu e a minha vizinha de cima, que também é professora do
PURO - eu moro no térreo da casa do meio do condomínio e ela mora no
andar de cima (``casas 3 e 4'') - estamos pensando em nos mudar pra
outros lugares de Rio das Ostras por causa desses vizinhos, e se nós
nos mudarmos os próximos inquilinos provavelmente vão ser outros
estudantes, e o barulho vai piorar... Ela está aqui há menos de um
ano, e ela está tentando aguentar mais alguns meses pra poder terminar
o contrato de aluguel sem pagar uma multa; eu posso me mudar assim que
arranjar outro lugar, mas prefiro sair ao mesmo tempo que ela. Ela
também está muito desesperada, mas o desespero dela, ao contrário do
meu, é praticamente sem raiva... e eu estou tentando fazer algo de
útil com a minha raiva e a minha revolta.



%*

\end{document}

% Local Variables:
% coding:           raw-text-unix
% ee-anchor-format: "«%s»"
% End: