Warning: this is an htmlized version!
The original is across this link,
and the conversion rules are here.
-- This file:
-- http://angg.twu.net/LUA/tmp.lua
-- http://angg.twu.net/LUA/tmp.lua.html
--  (find-angg        "LUA/tmp.lua")
--
-- (find-lua51manualw3m "")
-- (find-books "__comp/__comp.el" "ierusalimschy")
-- (find-pil2page 8 "Contents")
-- (find-pil2text 8 "Contents")

userocks()
require "re"

dialog = [[
Leandro, Savio and 3 others
Conversation started today
  Eduardo Nahum Ochs
10:06pm
  Eduardo Nahum Ochs
Oi
acho mais prático falar umas coisas que valem pra todo mundo por aqui
as correções dos últimos dias eu fiz pelo critério normal mas prestando muita atenção porque eu sabia que depois eu olharia de novo pelo critério 3
fiz um monte de comentários nas questões, até... exceto em umas que estavam muuito ruins...
mas então

a minha idéia original com o critério 3 era que ele salvaria - ou da reprovação ou de ficar com uma nota baixa - as pessoas que gastaram tempo demais fazendo certas questões difíceis muito bem...
se vocês repararem nas fotos dos quadros e na lista de itens em
http://angg.twu.net/2013.2-GA.html#criterio3
vocês vão ver que tem uma idéia que se repete em vários lugares, e que é aquela das máquinas com pessoas dentro - a mais básica tem o leitor de ressaca
a média tem um aluno de GA que sabe demonstrar coisas e fazer constra-exemplos
e a mais avançada tem um aluno que sabe produzir as próprias proposições e teoremas pra resolver problemas difíceis
e esse aluno sabe também fazer o papel dos das outras máquinas.
pois é, acho que o que eu vou explicar agora vai ajudar a esclarecer isso e o que falta... e deve ajudar vocês e pedirem mais chances pro colegiado, também, e explicarem o que aconteceu, o que vai mudar, etc.
(valeu, Sávio, eu não tava conseguindo adicionar o Luiz Paulo)
então: praticamente todo assunto do curso aparecia em 3 níveis, tanto nas aulas quanto nos exercícios pra casa e nas provas
e todo mundo sabe que é difícil pra kct chegar no nível do aluno dentro da caixa mais alta - dá pra chegar lá, mas dá um trabalhão, e a gente tá tentando criar todas as condições pra que fique mais fácil.
as provas tinham questões "mecânicas", no nível da caixa mais baixa, algumas questões fáceis de "demonstre" no nivel da caixa média, e umas questões nas quais vocês tinham que descobrir os teoremas certos, enunciá-los direito e demonstrá-los
o nível da caixa média é o do consumidor de teoremas, o nível da caixa alta é o do produtor de teoremas.
o objetivo dos cursos básicos de matemática é fazer vocês passarem pro nível dos produtores de teoremas - que se tornam autônomos e podem estudar sozinhos até por livros mais avançados (que são mais bem escritos que os básicos, mas que deixam MUITOS detalhes pro leitor completar)
e aí uma coisa que eu tentei enfatizar nas aulas, mas acho que ainda não o suficiente
é como a gente pode fazer não só pra gente estudar com as pessoas do nosso grupo
como pra gente poder escrever certos desenvolvimentos nos quais a gente tem dúvidas
de um jeito que quando a gente mostrar pras pessoas dos outros grupos, ou pra alunos de outros semestres, ou pra professores
eles vão ficar interessados em ajudar ao invés de se sentirem alugados
os truques pra gente escrever demonstrações de forma muito clara são exatamente pra outras pessoas poderem ler os nossos desenvolvimentos em poucos segundos, confiarem no que a gente fez, e focarem a atenção delas exatamente no que é menos óbvio
e verem onde a gente empacou e poderem ajudar
eu sei que ainda não deu pra deixar por escrito
em fotos de quadro etc
uma checklist de coisas que a gente pode olhar quando um colega de grupo nosso mostra uma demonstração que ele tá fazendo
mas já tou bem mais perto disso que antes
isso não tem explícito em livro nenhum, os detalhes disso estão espalhados em centenas de lugares... quando a gente estuda geometria clássica no ensino médio etc - o que não é o caso de quase ninguém hoje em dia - a gente já chega na universidade sabendo bastante sobre isso
pois é, não, tá BEM longe
posso ser bem específico com cada um de vocês e mostrar exatamente o que tá faltando e onde vocês podem começar a aprender o que falta
sim
mas uma coisa básica pra próxima vez é: vocês precisam aprender a arrumar mais tipos de demonstrações de modos que vocês possam mostrá-las pra pessoas de outros grupos
teve MUITA coisa no curso que foi mencionada meio rápido durante as aulas, como uns exemplos básicos e uns exercícios
e que primeiro uma pessoa da turma conseguiu fazer aquilo mais ou menos
ou em casa, ou na aula mesmo, ou num atendimento
e aí mostrou pros colegas numa forma quase incompreensível e depois um grupinho de pessoas ralou pra deixar mais clara
e depois disso nesse grupo umas poucas pessoas aprenderam a fazer de modo razoavelmente claro um caso mais geral
mas o conhecimento de várias coisas difíceis do curso acabou espalhado pela turma - as pessoas sabiam coisas que se complementavam
tá, deixa eu tentar resumir o critério 3 e porque eu fiz aquela lista de itens:
tem que ter em algum lugar uma lista detalhada das coisas que foram dadas no curso e que caíram nas provas
pra ajudar as pessoas a estudarem
bom, no mínimo vocês têm todas as condições fazerem as matérias que vêm depois de GA ao mesmo que GA, pedindo que pré-requisito seja transformado em co-requisito...
posso apoiar vocês se vocês falarem com os professores do colegiado
vocês são todos da computação?
eu tou preparando um documento grande sobre GA
que explica com bastante detalhe muito do que eu tou fazendo pro curso ser dado num nível bem alto
e várias das coisas que estão fazendo com que os alunos não tenham as condições ideais pra estudarem
sim, tem algumas regras, mas tem várias coisas que são discutidas caso a caso
hmm
acabei de me tocar de que posso pôr uma coisa extra nesse documento
é que vários alunos entraram com um pedido de cancelamento (?) de registro de matéria na qual eles tinham sido reprovados...
por sugestão minha, aliás
vou pôr nesse documento que a minha posição pessoal (não posso falar em nome de todo o RFM) é que devemos tentar cancelar essa reprovação o mais rápido possível pros alunos que estão correndo o risco de serem jubilados
sim, só que eu só chego no PURO na 4a, dou 4 horas de aula das 14:00 às 18:00, e depois tenho uma brecha só de 2hs antes de uma reunião barra-pesada com zumbis...
acho que a gente tem que fazer tudo em paralelo
tentar descobrir que meios a gente tem pra evitar qualquer coisa parecida com jubilamento
ele não foi esquecido não, imagino que ele vá ser discutido na próxima reunião da computação... porque já me cobraram essa minha resposta que tá virando um documento grande várias vezes
"não dá em nada" no sentido de que nada feito institucionalmente no PURO dá em nada... os zumbis inventam desculpas tipo que o carimbo redondo está no lugar do carimbo quadrado, e que o prazo isso e aquilo e que abaixo-assinado é desaforo e tal
mas era pra gente estar vendo um pouco mais longe que isso
e vendo que mesmo quando um processo "não dá em nada" a gente pode citar detalhes desse processo em todas as reuniões futuras...
sim! no LLaRC
e que tem que ser possível a gente pressionar um sistema que faz com que nada dê em nada
mas assim que a nota entra as pessoas são desjubiladas
tem que existir algo assim
imagina que eu tivesse tido um acidente de carro e tivesse ficado um mês em coma
pelo que perguntei ao Danilo sim
se a aprovação entrar a jubilação vai sair
essas coisas acontecem, e aí as notas entram atrasadas "por motivos de força maior"...
mas a gente tem que ver o que dá pra fazer
o PURO é a terra da impunidade... eu não aguento mais, e já tou no ponto de que o meu slogan é "eu quero o meu quinhão de impunidade também" - e tem que ter um pouco disso pra vocês
tem que dar pra gente usar o sistema pra mostrar que como as coisas são uma bagunça
vocês têm que ter direito de fazer GA de novo, e com melhores condições... vocês deveriam, por exemplo, ter espaço pra estudar no PURO, e pra isso só tem aquelas pouquinhas mesas da biblioteca e as do saguão...
e outra coisa que deveria ficar bem evidente
é que o programa de GA e de outras matérias supõe alunos que aprenderam muita matemática no ensino médio... mas tem muitos que até estudaram em escolas boas mas
ao invés de terem matemática direito praticamente só tiveram treino pras questões do ENEM
e os professores são por um lado pressionados pra diminuírem a evasão e formarem alunos o mais rápido possível
e por outro lado pra darem cursos muito bons - ficam citando o tempo todo as notas da EP e da CC no ENADE, por exemplo...
só que a gente não reclamar também atrapalha
vocês já tiveram alguma situação na vida na qual vocês não conseguiam estudar direito porque o curso parecia sem sentido e vocês não sabiam o que estavam fazendo ali e estavam meio sem esperança?
eu já tive isso zilhões de vezes
se vocês forem pelo menos um pouco parecidos comigo
   Eduardo se você disse que temos condições de fazer álgebra ou outras disciplinas que Ga eh pre, pedindo quebra, é pq temos um conhecimento da disciplina dai você vendo todo nosso caso, se jubilaremos, de eatarmos no 8 período e de ter praticamente mais se 70% do curso concluído. O senhor poderia rever e tentar ajudar a gente, pq tenho certeza que se a reprovação for p sistema nos não iremos ter tempo viável para tentar cancelar esse 'jubilamento'.
a gente ainda não sabe como o sistema funciona.
...a gente tem que acionar os professores que são capazes de fazer pedidos especiais pro sistema
ufa, que alívio
as pessoas falam pouco disso em público
mas fica todo mundo arrasado quando tá tudo funcionando mal e a burocracia é absurda... e a gente ainda fica com vergonha, porque tem um discurso que diz que
o profissional perfeito consegue lidar com  qualquer situação sem desanimar
nesse semestre a gente ainda teve todo o pânico por causa do projeto de teresópolis...
puz, é, petrópolis.
  Como a ana Isabel falou em cálculo 3, esse semestre foi complicado tanto para vocês professores de matemática quanto para nós alunos.
puz -> putz.
é, muito
Todos foram pegos de surpresa
e a gente sabe que esse tipo de coisa vai acontecer sempre
sem que nada de ruim aconteça pra eles
Pois é
sim, é bem fácil a gente comprovar isso, e eu quero tentar deixar claro - ainda não sei bem com que palavras eu vou escrever essa parte - que eu quero usar um pouco da minha "impunidade" pra dar um curso que seja MUITO útil pra todo mundo que o fizer, mas que por enquanto eu ainda não consegui preparar todo o material pra mais alunos conseguirem passar nele sem tantos problemas...
então, por exemplo, o material que eu tenho escrito sobre como escrever demonstrações ainda é pequeno, e a explicação de como cada grupo pode fazer pra interagir com outros grupos que têm conhecimentos diferentes
qual? a minha?
quando eu conversei com o Ayrton sobre os alunos fazerem o abaixo-assinado sobre a minha demora em entregar as notas
eu vi que apesar de que isso poderia gerar um processo administrativo contra mim
os processos têm vários passos, e se eu tivesse justificativas muito boas pro atraso
não só me desculpando, mas aproveitando pra explicar os detalhes de um projeto bem maior de bons cursos básicos de matemática
o que poderia haver de punição contra mim pelo atraso não seria muito, e valeria super a pena
porque daria pra dar visibilidade a um monte de problemas nossos
por exemplo, agora a gente tem montes de gravações de reuniões, e eu tenho um codigozinho em javascript que me permite indexá-las... e nesse documento vou apontar pra falas em reunião que mostram
como tem dois projetos de universidade totalmente diferentes no ICT
por exemplo, tem falas de vários profs da engenharia contra a participação de alunos em reuniões
tem uma do prof Fred da EP falando que em qualquer empresa as coisas são decidas pelos diretores, muita coisa é feita em segredo, e o normal é só comunicar no final
tem o fontana dizendo que democracia não é todo mundo falar, isso é bagunça]
que democracia é respeito à lei
tem o moacyr e a iara e a marcelle e o fontana se fazendo de ofendidíssimos por pedidos de esclarecimentos
e tem falas de professores da CC apoiando tudo isso
sim
tem muitas situações em que os professores retaliam contra alunos que não ficam só quietinhos no canto deles
eu sei de várias histórias desse tipo
mas nessa questão de GA vocês não estariam expondo ninguém - eu é que tou expondo um monte te problemas
sim, imagino
eu sei que eu tou ralando há anos pra encontrar modos de avaliação que eu ache muito justos e vejo que ainda falta... então imagino que os professores que não pensam muito nisso
dá pra gente já tentar falar com Danilo e o Quinet amanhã?
pera, como assim? o minimo pra alguém passar é 4 na NF e 6 na VS... acho que isso vira média 5 no CR
ah, algum de vocês que saiba mais truques de facebook que eu poderia pegar um log dessa conversa inteira e me mandar por e-mail?
tem várias coisas que eu falei aqui que são esboços pra partes desse documento sobre GA que ainda não está pronto...
a gente pode mandar um e-mail pro Danilo explicando tudo e perguntando o que dá pra fazer
pera, como assim? teve o Leonardo Amaral, que tirou 5.0 e 5.1 nas duas primeiras provas, mas ele fez coisas muito difíceis da P2
tou adicionando o Leandro no chat, ele também tá com medo de ser jubilado
pedi pra ele ler o logo todo da conversa.
logo -> log.
Marcos, exceto por esse caso em todos os outros as pessoas precisavam ter média 4 nas duas melhores provas e média 6 na melhor... ou não?
talvez exista algum modo de cancelar a reprovação de vocês mesmo antes do jubilamento... não sei, isso é uma idéia que está me ocorrendo agora, acho que a gente precisa pelo menos argumentar bem e ver se a gente consegue que os coords de curso de vocês vejam se é possível... nem deve ser muito fácil descobrir se é possível ou não
mas existe essa chance
e podem existir outras possibilidades... o que nos cabe fazer agora é explicar com detalhes o que cada um de nós fez e porque eles podem querer me ajudar
avisa que eu tou escrevendo um texto grande sobre GA e que vou mandar uma versão preliminar pra ele mais tarde!
oops, falei "me ajudar" mas era "nos ajudar"
  criando modos de se auto ajudar e os alunos q criem modos sde se ""virar"" e a obrigação de tirar a nota > q 6 pra passar
  um exemplo disso foi a greve semestre super apertado 3 meses parado e quando voltamos foi duas semanas de aula,depois prova e o aluno q se ferre para tirar a nota > q 6
  Professor estamos nesta juntos ,so que enfrentar o sistema q é feito pras outras pessoas e nao pra nós alunos é quse impossivel
é, mas ninguém aguenta mais essa situação em que tudo é impossível
dá tanto desânimo que às vezes a gente não consegue nem trabalhar, nem estudar
ou seja se nao passarmos em g.a o jubilamento vai nos tirar de qualquer chance de se formar e tentar mudar esta história do puro q desde q entrei vive a merce do "SISTEMA" em q alunos sao obrigados a aprender a matéria rapido sem mts das vezes o professor entender as dificuldades de nos alunos
sim, mas os professores deveriam entender as dificuldades dos alunos, né? e trabalhar com os alunos de verdade, não com os alunos ideais imaginários que ou não existem ou são só 2 ou 3 mega CDFs...
Marcos, eu vou rever as provas de todos vocês pra ter certeza, mas como eu falei, o objetivo principal do curso é as pessoas saírem sabendo fazer coisas no nível da caixa de cima... encontrar os teoremas certos pra resolver certos problemas, enunciá-los e demonstrá-los... e acho que posso apontar exatamente que partes disso vocês sabiam fazer e que partes não...
eu entendo, Leandro, mas aprovar alunos principalmente por eles estarem à beira de serem jubilados, mesmo com eles estando bem abaixo da linha de corte, estraga o meu projeto de um curso de GA fodão... só posso pensar nisso depois de esgotar todas as possibilidades anteriores, e junto com os meus colegas de departamento (e o Danilo)
Luiz Paulo, vou ver, pode deixar - assim que a gente acabar essa conversa.
vou fazer isso, claro, prometi etc, mas a gente tem que fazer tudo em paralelo
bom, podemos até interromper a conversa agora e eu vou lá rever as provas
ok!
releiam e vão pensando aí em tudo que vocês podem fazer! eu vou pensar aqui pelo meu lado e escrever umas coisas que faltam.

]]



bigstr = [[
Chapter 1: Functions ........................................................................................................ 1 
  Section 1.1 Functions and Function Notation ................................................................. 1 
  Section 1.2 Domain and Range..................................................................................... 21 
  Section 1.3 Rates of Change and Behavior of Graphs .................................................. 34 
  Section 1.4 Composition of Functions .......................................................................... 49 
  Section 1.5 Transformation of Functions ..................................................................... 61 
  Section 1.6 Inverse Functions ....................................................................................... 90

Chapter 2: Linear Functions.......................................................................................... 99 
  Section 2.1 Linear Functions ........................................................................................ 99 
  Section 2.2 Graphs of Linear Functions ..................................................................... 111 
  Section 2.3 Modeling with Linear Functions.............................................................. 126 
  Section 2.4 Fitting Linear Models to Data .................................................................. 138 
  Section 2.5 Absolute Value Functions ........................................................................ 146

Chapter 3: Polynomial and Rational Functions......................................................... 155 
  Section 3.1 Power Functions & Polynomial Functions .............................................. 155 
  Section 3.2 Quadratic Functions ................................................................................. 163 
  Section 3.3 Graphs of Polynomial Functions ............................................................. 176 
  Section 3.4 Rational Functions ................................................................................... 188 
  Section 3.5 Inverses and Radical Functions ............................................................... 206

Chapter 4: Exponential and Logarithmic Functions................................................. 215 
  Section 4.1 Exponential Functions ............................................................................. 215 
  Section 4.2 Graphs of Exponential Functions ............................................................ 232 
  Section 4.3 Logarithmic Functions ............................................................................. 242 
  Section 4.4 Logarithmic Properties ............................................................................ 253 
  Section 4.5 Graphs of Logarithmic Functions ............................................................ 262 
  Section 4.6 Exponential and Logarithmic Models...................................................... 270 
  Section 4.7 Fitting Exponentials to Data .................................................................... 289
                                                                                                                                      ix


Chapter 5: Trigonometric Functions of Angles ......................................................... 297 
  Section 5.1 Circles ...................................................................................................... 297 
  Section 5.2 Angles ...................................................................................................... 307 
  Section 5.3 Points on Circles using Sine and Cosine ................................................. 321 
  Section 5.4 The Other Trigonometric Functions ........................................................ 333 
  Section 5.5 Right Triangle Trigonometry ................................................................... 343

Chapter 6: Periodic Functions ..................................................................................... 353 
  Section 6.1 Sinusoidal Graphs .................................................................................... 353 
  Section 6.2 Graphs of the Other Trig Functions ......................................................... 369 
  Section 6.3 Inverse Trig Functions ............................................................................. 379 
  Section 6.4 Solving Trig Equations ............................................................................ 387 
  Section 6.5 Modeling with Trigonometric Equations ................................................. 397

Chapter 7: Trigonometric Equations and Identities ................................................. 409 
  Section 7.1 Solving Trigonometric Equations with Identities .................................... 409 
  Section 7.2 Addition and Subtraction Identities ......................................................... 417 
  Section 7.3 Double Angle Identities ........................................................................... 431 
  Section 7.4 Modeling Changing Amplitude and Midline ........................................... 442

Chapter 8: Further Applications of Trigonometry.................................................... 451 
  Section 8.1 Non-right Triangles: Law of Sines and Cosines ...................................... 451 
  Section 8.2 Polar Coordinates ..................................................................................... 467 
  Section 8.3 Polar Form of Complex Numbers ............................................................ 480 
  Section 8.4 Vectors ..................................................................................................... 491 
  Section 8.5 Parametric Equations ............................................................................... 504

Solutions to Selected Exercises .................................................................................... 519 
  Chapter 1 ..................................................................................................................... 519 
  Chapter 2 ..................................................................................................................... 526 
  Chapter 3 ..................................................................................................................... 530 
  Chapter 4 ..................................................................................................................... 534 
  Chapter 5 ..................................................................................................................... 539 
  Chapter 6 ..................................................................................................................... 542 
  Chapter 7 ..................................................................................................................... 546 
  Chapter 8 ..................................................................................................................... 549

Index ............................................................................................................................... 555 
]]

lpeg.test = function (pat, str, ...) PP(pat:C():match(str, ...)) end
lpeg.export = function (str)
    for name in str:gmatch"%w+" do _G[name] = lpeg[name] end
  end
lpeg.export "P R S C Cp Ct Cc"








--[[
* (eepitch-lua51)
* (eepitch-kill)
* (eepitch-lua51)
dofile "tmp.lua"

dots = S" ."^1
_1 = P" "
_  = P" "^0

num  = (R("09")^1):C()
dnum = (R("09","..")^1):C()
w1 = R("AZ", "az", "::")^1
ws = (w1 * (_1 * w1)^0):C()

li = "Chapter 7: Trigonometric Equations and Identities ....... 409 "

cs = _ * (P"Chapter" + P"Section") * _ * dnum * P":"^-1 * _ * ws * dots * num
--   * P":"^-1 * dots * num
cs:test(li)

fmt = ';; (find-lippmanraspage (+ 10 %3d) "%s" "%s")\n'

for _,li in ipairs(splitlines(bigstr)) do
  local a,b,c = cs:match(li)
  -- if a then print(c, a, b) end
  if a then printf(fmt, c, a, b) end
end





--]]


-- Local Variables:
-- coding: raw-text-unix
-- End: